Make your own free website on Tripod.com

FÓRUM CIDADANIA LISBOA

Convento dos Inglesinhos (BA)

Início
Casa e Jardins Daupiás
Cinema Odéon
Ajuda
Alvalade
Avenida da Liberdade
Bairro Azul
Cp. Ourique
Castelo / Encosta Oeste
Graça
Paço Lumiar
Príncipe Real
Propostas várias
Auto-silos
Cine-Teatro Capitólio
Cinema Paris
Salão Nobre
Ambiente, património, mobilidade, etc.
Artigos, petições, etc.
Zonas Oportunidade
Teatro Tália
Proj. Foster / Boavista
Proj. Piano / Braço Prata
Casa A.Garrett
Ficha de inscrição

Colégio dos Inglesinhos e Igreja de São Pedro e São Paulo  (popularmente designado como Convento dos Inglesinhos)

conventoprojamorim.jpg
(foto: Amorim Imobiliaria)

(Ficha do Convento na DGEMN)

Esta chaminé já não existe!
conv8.jpg

 
_______________________________________
 
Será que tudo quanto é património histórico está "condenado" a hotel de charme ou a condomínio fechado?
 
Tem que haver contrapartida financeira-comercial para tudo?
 
E ao Patriarcado? E à Misericórdia, só interessou a alienação patrimonial?
 
E à CML, só convém desresponsabilizar-se?
 
E ao MC, só interessam os corredores e gabinetes?

Pode ler-se no sítio da Amorim Imobiliária:
 
"A recuperação do Convento dos Inglesinhos, edifício de forte conteúdo histórico, deu corpo a um condomínio residencial de luxo que se caracteriza por:

Condomínio privado no Bairro Alto, um local cheio de tradição, em pleno centro da cidade de Lisboa; v
istas únicas de 360º sobre toda a Lisboa; zonas verdes ajardinadas privadas; e acabamentos únicos e exclusivos."
____________________________
 
Mas, não seria melhor ser outra coisa? O quê?
 
Por exemplo, uma escola-museu de artes e ofícios (encadernação, dourarão, olaria, cerâmica, azulejaria, marcenaria, carpintaria, artes cénicas, estudos olisiponenses, etc.) para o espaço conventual, em regime de semi-internato.
 
Por exemplo, uma extensão do Conservatório.
 
Por exemplo, a nova casa da
Orquestra Metropolitana de Lisboa.
 
Por exemplo, a sede do IPPAR, e da Direcção-Regional de Lisboa.
 
E os jardins, que ainda restam, para fruição pública.
E o aproveitamento da belíssima igreja de São Pedro e São Paulo
para eventos culturais.
______
 
Como?
 
Estabelecendo um entendimento com o promotor.
Expropriando, se for caso disso.
Angariando o patrocínio de fundações ligadas às artes.

 
_________________________________________
 
Enquanto a Providência Cautelar esta(va) a ser julgada pelo tribunal, as obras continua(ra)m à socapa, com demolições e camiões a retirar entulho (conforme documentam estas fotos)
 
Segundo consta, o promotor terá justificado ao Tribunal que apenas estavam a decorrer
"pequenas demolições"
 
VERGONHA!
 
Para que serve uma providência cautelar?
 
Para que serve os moradores terem juntado 900 € para as custas do tribunal?
 
Para que serve o empenho gratuito de advogados?
 
__________________________________________
 
Entretanto, o tribunal julgou IMPROCEDENTE a providência cautelar afirmando no despacho respectivo que não ficou provado que exista um jardim anexo ao Convento dos Inglesinhos (!!!)
 e que o facto de se construir um prédio de três andares atrás do muro de Mardel,  na Rua Nova do Loureiro,
não vai alterar em nada a configuração da rua...
 
(Mais palavras para quê?!)
_________________________________________
 

(leia a carta que J.Fonseca e Costa enviou para os jornais, sobre o assunto)

(uma iniciativa de um grupo de moradores do B.A.)

---------------------------------------------------------------------------------------------------------

FOTOS (fonte: Alma Mahler)
convento1a.jpg
-------------------------------------------------------------------

logodn.gif
(Edição 21 Nov.)

tsflogo.gif

logotiportp.jpg

logopub1.gif
logojn.gif

 
----------------------------------------------------------------------------------